contact

Contato

Blog | 18 de mai. de 2022

Migração para a automação inteligente na nuvem: um guia detalhado

Migração para a automação inteligente na nuvem: um guia detalhado
Table of Contents

Se você começou a usar a automação inteligente (IA) para automatizar os processos comerciais, é provável que considere levar essa tecnologia a mais processos. Conforme a IA permite que você atenda a demandas crescentes e automatize mais processos, ela se torna essencial para a empresa.

Nesse ponto, faz sentido migrar para a IA na nuvem a fim de garantir a disponibilidade contínua das funções necessárias. Uma plataforma na nuvem, com automações predefinidas na forma de operadores digitais, permite respostas mais rápidas à evolução das prioridades.

Se você considera a IA baseada na nuvem como uma opção cada vez mais interessante, não está sozinho. A Deloitte constatou que um terço das organizações pesquisadas (31%) acelerou os investimentos em IA baseada na nuvem para responder à pandemia da COVID-19. Apenas uma em dez (11%) organizações não estava usando infraestrutura de nuvem para as soluções de automação e cerca de metade delas já usava esse recurso para algumas automações.

Migração para a IA na nuvem: mais fácil do que você pensa

As migrações para a nuvem exigem tempo e esforço, mas são mais fáceis do que você pensa. Em breve, você obterá benefícios, como menor custo total de propriedade, mais recursos e as facilidades de uma plataforma totalmente hospedada e gerenciada, eliminando a sobrecarga de atualizações e gerenciamento diário.

Quando considera a migração para a IA na nuvem, você pode ficar preocupado com a interrupção das operações comerciais. Entretanto, não há motivo para isso. Não é preciso fazer uma implementação abrangente de um dia para o outro. Os sistemas locais e na nuvem funcionarão em paralelo até que não haja dúvidas sobre o funcionamento correto da plataforma na nuvem.

Migrações iniciais

A migração para a nuvem funciona melhor quando é dividida em projetos menores. Até que você adquira confiança no processo de migração, ajudaremos com várias migrações iniciais, abrangendo os primeiros cinco ou seis processos. Começamos com um processo simples. A segunda e a terceira migrações iniciais incluirão dois ou três processos.

Para cada migração inicial, dividimos a abordagem de migração em três etapas importantes:

1. Preparação

Começamos trabalhando em conjunto para avaliar os processos atuais. Examinaremos esses processos para entender todas as complexidades ou práticas fora do padrão que possam ser relevantes para a migração. Isso inclui a revisão dos requisitos de relatórios. Uma parte dessa etapa é a criação de uma estrutura de governança para que as funções e responsabilidades fiquem claras: o que vai acontecer e quando.

Na preparação para a migração, vamos trabalhar em conjunto para conectar e integrar a plataforma de nuvem ao seu ambiente e configurar o ambiente para migração, instalação de aplicativos e configuração de identidades dos operadores digitais.

Para evitar demoras posteriores, manteremos o foco em um bom planejamento e no envolvimento antecipado dos líderes empresariais. Esses líderes incluem o proprietário do negócio para a automação de IA atual, a equipe de rede de TI e o pessoal de segurança de TI. Esses stakeholders devem estar disponíveis na fase de testes para garantir o funcionamento de acordo com o esperado. Concordar com um cronograma de migração e garantir a disponibilidade dos recursos certos da empresa no momento certo são questões fundamentais.

É importante realizar os preparativos com base em um acordo claro que defina em que processos os aplicativos estão incluídos. Além disso, prepare configurações de aplicativos predefinidas para que a equipe de TI possa enviar essas implementações diretamente aos operadores digitais.

Os controles de acesso são específicos de cada processo. Cada aplicativo de cada automação deve ser implementado para o operador digital, juntamente com as credenciais usadas nessas automações. Nesse ponto, verifique se as credenciais de configuração relevantes para cada processo estão prontas. Envie as credenciais das migrações planejadas aos operadores digitais de uma só vez, em vez de enviá-las aos poucos, para garantir uma migração tranquila.

Identifique prazos de entrega possivelmente longos para as tarefas de TI. Normalmente, as alterações relacionadas a firewalls ou segurança levam muito tempo para serem processadas. Portanto, execute-as o mais cedo possível.

Em meio ao entusiasmo da migração para a nuvem, é essencial não apressar o processo ou ignorar práticas recomendadas. Se você não incorporar redundância e resiliência à automação, terá dificuldades quando quiser ampliar a utilização de IA. Esses são bons motivos para criar uma plataforma robusta desde o início.

2. Pré-produção e testes

Quando um processo de IA fica pronto, o desenvolvimento é interrompido na fase de pré-produção para que possamos testá-lo. Nesta fase, exportamos o processo do sistema antigo para um ambiente na nuvem distinto do de produção. Assim, podemos testar o processo real, procurando problemas como variações de tempo de resposta do aplicativo.

É importante contar com uma definição clara sobre o que é um teste bem-sucedido. O teste deve replicar o processo executado atualmente, sem adições ou mudanças. Após a migração, você pode analisar as melhorias e a adição de novos recursos na plataforma. Depois que os processos forem migrados corretamente para a nuvem, você poderá revisitar, aprimorar, acelerar e fortalecer alguns desses processos usando os recursos da nuvem, que provavelmente não estão disponíveis no ambiente local.

3. Entrar em produção

Após a conclusão bem-sucedida dos testes, estamos prontos para mover o processo para produção. Uma vez em produção, validaremos o processo para garantir que funcione conforme o esperado.

As plataformas locais atuais e as novas plataformas na nuvem serão executadas em paralelo por um tempo definido de comum acordo como parte do plano de migração. Isso permite que você migre de forma controlada. Ou seja, você escolhe o momento de executar o processo no modo de produção na nuvem.

Repetir

Quando a primeira migração inicial é concluída, podemos repetir o processo para a segunda. Desta vez, vamos migrar dois processos para a nuvem. É uma boa ideia começar com um processo simples, bem conhecido e relativamente simples, e aumentar um pouco a complexidade nas migrações iniciais subsequentes.

Nas etapas posteriores do processo, é uma boa ideia escolher os processos mais complexos para que possamos ajudar na migração enquanto continuamos apoiando os cinco ou seis processos migrados inicialmente.

Quando terminarmos as três migrações iniciais, você saberá exatamente o que precisa fazer para automatizar mais processos. Essa abordagem pode ser replicada para os processos que você quiser migrar futuramente. E é claro que, se você precisar de mais ajuda e suporte, estamos aqui para ajudar.

Tudo certo para o sucesso

Nossa metodologia testada e comprovada significa que você pode ter certeza de uma migração otimizada para a IA na nuvem. Podemos ajudar nas tarefas complexas e preparar você para o sucesso em pouco tempo.

Quer saber mais sobre a automação inteligente na nuvem?

Baixe nosso relatório da Ventana Research sobre automação inteligente na nuvem

Baixar relatório

Últimas notícias da SS&C Blue Prism