contact

Contato

Blog | 25 de jul. de 2023

Como se preparar para a IA criativa: guia de sobrevivência

Como se preparar para a IA criativa
Table of Contents

Acabamos de ser jogados na selva. Estamos cercados por árvores. Está chovendo. Não temos nenhum mapa. Nem guarda-chuva. Nem lanches. Esse ruído lá longe... será uma onça caçando?

Um tanto dramático esse cenário, mas nossa reação coletiva à inteligência artificial (IA) criativa tornou-se, em muitos aspectos, uma resposta do tipo “lutar ou fugir”.

Presenciamos uma corrida tecnológica transformadora com o lançamento do ChatGPT, DALL-E, Copilot e outros softwares de IA criativa. Isso faz com que líderes de negócios imaginem como utilizar essa tecnologia emergente em suas empresas com segurança e eficácia.

Assim como a imprensa e a palavra escrita antes dela, tanto especialistas quanto leigos se preocupam com os rumos da IA criativa.

A questão é: aceitamos e procuramos utilizar essa tal “tecnologia disruptiva” ou fugimos dela, torcendo para que não nos alcance?

Podemos correr, mas não nos esconder. A tecnologia é uma área em constante evolução que mudará inevitavelmente o futuro do trabalho.

Como existe muita agitação sobre a IA criativa, vamos esclarecer algumas coisas. Vamos ajudar na sua preparação para a IA criativa, mostrando o que é necessário, o que procurar e como preparar a empresa.

Por que a IA criativa é importante?

Então, por que a IA criativa é tão relevante? No momento em que estamos, é o mesmo que perguntar: “Por que a internet é importante?” ou “Indiana Jones era mesmo arqueólogo?”. Algumas perguntas simplesmente não têm respostas simples, mas vamos tentar.

A IA criativa é uma das tecnologias de alto impacto que define uma mudança essencial na forma como trabalhamos e acessamos dados e no futuro de tecnologias em rápido crescimento.

Quando combinada com soluções de automação inteligente (AI), a IA criativa supera desafios em vários setores, acelerando o desenvolvimento de novos medicamentos e o diagnóstico de doenças, aprimorando a educação e comunicação, e tornando o trabalho das pessoas mais interessante e significativo. As empresas obtêm até mesmo benefícios fiscais em termos de economia de custos e eficiência operacional. Além disso, a evolução do escopo da IA criativa não se limita aos benefícios econômicos e tem potencial para abordar questões altamente relevantes, como mudanças climáticas e desigualdade educacional.

As organizações já utilizam AI para automatizar fluxos de trabalho e processos empresariais, eliminando tarefas repetitivas e demoradas para que os funcionários possam se dedicar a iniciativas mais estratégicas e de maior valor.

A IA criativa oferece ainda mais opções de automação para exploração.

Então, sim. Ela é importante. Mas antes de explicar como usar a IA criativa, vamos definir o que ela é.

O que é a IA criativa?

A IA criativa é um subconjunto da IA voltado à criação ou geração de conteúdo novo e original, como imagens, textos, músicas, programação de software etc. Ela treina modelos de aprendizado de máquina para aprender padrões com base em dados existentes e os utiliza para criar conteúdo novo e realista, semelhante aos dados originais.

Já podemos perceber questões sobre propriedade intelectual e violação de direitos autorais. Como a IA criativa ainda é uma área relativamente nova, governança e regulamentações ficaram para trás e tentam eliminar a defasagem, uma consideração importante para qualquer organização que pretende implementar essa tecnologia.

O que é a IA?

A inteligência artificial (IA) é o desenvolvimento de sistemas de computador ou máquinas para executar tarefas que imitam a inteligência humana.

Muitas vezes, a IA é considerada a parte “pensante” da tecnologia e pode envolver uma série de outras tecnologias, como aprendizado por máquina (ML), processamento de linguagem natural (NLP) e visão computadorizada, entre outras. Com essas tecnologias adicionais, os sistemas de IA podem analisar e processar grandes conjuntos de dados, reconhecer padrões, fazer previsões e ajudar na tomada de decisões.

O que é automação inteligente?

A automação inteligente (AI) abrange tecnologias de IA com automação robótica de processos (RPA), gerenciamento de processos de negócios (BPM) e outros recursos para implantar operadores digitais capazes de otimizar diversos processos empresariais.

Dependendo dos objetivos comerciais de cada organização, há várias opções de automação disponíveis. A AI vai além da automação padrão baseada em regras, processando dados não estruturados, tomando decisões embasadas e executando tarefas complexas.

Como se preparar para a IA criativa

Antes de saltarmos daquele avião para a selva, precisamos ter certeza de que temos paraquedas (e lanches, não vamos esquecer os lanches). Como assim, “Não tem mais paraquedas”???

Estas são algumas tarefas de preparação para introduzir a IA criativa na organização:

    1. Reestruture seu pensamento. 

      Esqueça a dominação existencial por robôs mostrada em tantos filmes e reconheça o potencial da tecnologia: o objetivo da IA criativa é ajudar no brainstorming, liberar tempo valioso, identificar erros e ineficiências, e assim por diante.

      2. Aprenda em conjunto com seu pessoal

      Organizações que se interessam e aprendem sobre essa tecnologia se destacam da concorrência. Incentive seu pessoal a experimentar programas de IA criativa para poder debater sua utilização na empresa.

      3. Identifique e discuta os efeitos

      Considere os pontos fortes, as limitações e as questões éticas da IA criativa. Avalie as possibilidades (boas e ruins) do que a IA criativa pode fazer e identificando as possíveis vantagens e as vulnerabilidades para saber como lidar com elas, caso ocorram.

      4. Conheça os riscos

      A IA criativa apresenta muitos riscos, incluindo regulamentações ESG, respostas tendenciosas, resultados artificiais, violações de direitos autorais e privacidade, e vazamento de dados. Antes de mergulhar na tecnologia, verifique se tem as pessoas, os recursos, as diretrizes e os modelos de negócios adequados.

      5. Brainstorming de casos de uso

      Identifique áreas específicas na organização onde os casos de uso de IA criativa podem agregar valor. Considere o possível aprimoramento dos níveis de automação proporcionado pela IA para otimizar processos existentes, gerar novas ideias ou resolver problemas complexos.

      6. Encontre ferramentas de IA adequadas

      A IA criativa conta com um grande número de recursos. Entre eles, a capacidade de resumir grandes conjuntos de dados em partes condensadas e de fácil assimilação. Imagine a economia de tempo que um aplicativo poderia oferecer ou quantas tarefas rotineiras poderiam ser eliminadas da carga de trabalho de seus funcionários. Pense nas formas de interação dos funcionários com ferramentas de IA criativa como colegas digitais e não concorrentes.

      7. Prepare sua infraestrutura

      Antes de introduzir a IA criativa na organização, você precisa garantir que seus sistemas estejam aptos a processá-la. Durante a execução das tarefas de preparação, considere a qualidade, a quantidade e o conteúdo dos dados usados para treinar o programa de IA criativa e garanta se você tem a tecnologia necessária para cumprir requisitos computacionais.

      8. Encontre pessoas qualificadas

      Depois de ter uma ideia de como usar a IA criativa, você precisará de especialistas para ajudar a garantir o uso das práticas recomendadas de desenvolvimento, treinamento e implantação.

      9. Implemente governança

      Considere as questões éticas que podem surgir com a IA criativa, como respostas tendenciosas e privacidade de dados. Crie uma estrutura clara para abordar essas possíveis interrupções e defina um padrão para garantir o alinhamento consistente da tecnologia aos objetivos e valores da empresa.

      10. Configure regras regulatórias

      Para garantir a conformidade da organização, as ferramentas de IA criativa devem estar sempre atualizadas com os mais recentes requisitos legais e regulatórios relacionados a uso de dados, privacidade e direitos de propriedade intelectual. Pode ser útil criar uma equipe de Centro de Excelência (CoE) para ajudar nesse processo.

      11. Teste e treine

       Comece aos poucos e use um ambiente seguro e testado para experimentar a IA criativa e desenvolver modelos. Dessa forma, você poderá melhorar o desempenho e identificar eventuais limitações e oportunidades de melhoria.

      12. Participe de uma comunidade

       Encontre uma comunidade de indivíduos e líderes empresariais com interesses semelhantes em IA criativa para aprender as práticas recomendadas e debater o potencial de crescimento.

      13. Evolua e adapte-se à IA

       A IA criativa é uma área em evolução. Portanto, é importante que as organizações se mantenham atualizadas sobre as últimas tendências, pesquisas e avanços do setor. Promova uma cultura de educação contínua na organização e incentive as pessoas a pensar nas oportunidades de negócios proporcionadas pela IA criativa.

      IA criativa – uma boa ruptura

      Para alguns, a IA criativa é uma ruptura acelerada da forma de trabalho das pessoas. No entanto, como a maioria das coisas, a IA criativa pode ser usada com cuidado, consideração e bom planejamento para oferecer um grande potencial.

      Tecnologias de automação de tarefas, como automação robótica de processos (RPA), têm uma inteligência limitada, ou seja, são voltadas a executar as tarefas individuais que recebem. Com a introdução da IA criativa, a automação inteligente (IA) alcança um novo nível de progresso e potencial para as organizações.

      Desde o crescimento dos negócios até o aumento da satisfação dos clientes e funcionários e para além disso, estamos apenas começando a entender os benefícios da IA criativa para as empresas. É provável que esse avanço seja abordado em áreas de maior escala no futuro para atender às demandas econômicas e tecnológicas de uma era em evolução.

      Últimas notícias da SS&C Blue Prism